Dicas de concordância nominal e verbal para concursos

     

Muitos concursos utilizam em seu conteúdo programático a concordância nominal e verbal, trazendo, em suas questões, expressões que geram muita dúvida, que às vezes usamos erroneamente no cotidiano e levam-nos a errar a questão.

Diante disso, expomos abaixo algumas expressões que o ajudarão na empreitada de preparação para concursos, além de ajudar a comunicarmo-nos corretamente no dia-a-dia.

A primeira expressão interessante de se analisar é a “a gente”, em que tal enunciado é sempre utilizado com verbo no singular. Portanto, como exemplo, temos:

– A gente viajou para Recife (correto)

– A gente viajamos para Recife (errado)

Já com o vocábulo “anexo”, utilizado como adjetivo, o mesmo sempre concorda com o vocábulo determinado em gênero e número, exemplo:

– Segue anexa a documentação.

Outra questão muito presente em concursos é concordância nominal com dois substantivos de gêneros diferentes. Exemplo:

– Sapatos e meias velhos faziam parte de sua vestimenta 

– Sapatos e meias velhas faziam parte de sua vestimenta

As frases acima podem soar estranhas numa primeira vista, mas estão corretas. Portanto, quando temos dois substantivos de gêneros diferentes, podemos concordar o adjetivo com o substantivo mais próximo ou manter no gênero masculino.

Já com o vocábulo “meio”, é necessário definirmos a classe gramatical que o mesmo está sendo empregado. Por exemplo, se tiver na função de advérbio, ele será invariável, porém, se for empregado como adjetivo, terá sua flexão.

Há alguns macetes que podem ajudar, mas o importante é entender os conceitos da classes gramaticais. Como dica, quando aparecer a palavra “meio” e a mesma puder ser substituída pela expressão “um pouco”, estaremos diante de uma advérbio, assim ele será invariável. Veja o exemplo:

– A porta da geladeira estava um pouco aberta

Logo, teremos:

– A porta da geladeira estava meio aberta. 

Por fim, destacamos a palavra "obrigado", que muitas vezes aparece em questões de concurso. Lembrem-se de que, se a mesma empregada na função de adjetivo, sempre concordará com o substantivo ao qual está ligada. Portanto, o homem diz “obrigado” e a mulher diz “obrigada”.

Por Thiago José Fernandes