Concurso TRT-CE 2015 será realizado em breve

     

Será realizado ainda neste ano o concurso público do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, da 7ª Região. O processo seletivo oferecerá 51 vagas. As oportunidades serão distribuídas entre cargos de nível médio e superior. 

O novo concurso do Tribunal do Trabalho – CE, já foi autorizado pelo Conselho Nacional de Justiça, Conselho Superior da Justiça do Trabalho e pelo Tribunal Superior do Trabalho. A próxima instância será encaminhá-lo para o Congresso Nacional, onde deverá ser aceito como projeto de lei. Conforme as informações cedidas pela Secretaria de Gestão de Pessoas, o processo de seleção ainda está cumprindo as etapas do processo administrativo, entretanto, o edital do concurso poderá ser divulgado ainda em 2015. 

Do total de vagas solicitadas para o órgão, 15 são para o cargo de Técnico Judiciário, 31 para Analista Judiciário e as outras 5 para Juiz do Trabalho. 

Os novos contratados deverão cumprir uma carga horária de 40 horas por semana. Os salários variam de acordo com o cargo pretendido, sendo de até R$ 23.997,18 para o cargo de Juiz do Trabalho, R$ 8.803,97 para Analistas e de R$ 5.365,92 para o cargo de Técnico Judiciário. 

O último certame do Tribunal Regional do Trabalho, 7ª Região do Ceará foi realizado no ano de 2009. Na época foram disponibilizadas 85 vagas para Técnico cujo nível de escolaridade exigido era nível médio e 94 oportunidades para o posto de Analista que exigia do candidato ensino superior completo. Houve a reserva de vagas em ambos cargos para pessoas portadoras de necessidades especiais. 

Desde 2005 não acontece um concurso na área da magistratura para este órgão, nesse ano foram oferecidas 12 vagas. Para concorrer às vagas para Juiz do Trabalho era requisito fundamental ter concluído o Bacharelado em Direito e ter experiência na área de no mínimo três anos. 

O último concurso para Técnico e Analista foi realizado pela Fundação Carlos Chagas, já o concurso para magistrados que aconteceu em 2005 teve como organizadora a Escola de Administração Fazendária. 

Por Melina Menezes