Concurso Prefeitura de Salvador (BA) 2014 tem 63 vagas abertas

     

Com o objetivo de atender as necessidades da administração pública por meio de seleção pública, a Prefeitura de Salvador, na Bahia, divulgou edital para a contratação de profissionais por período temporário. O edital 05/2014 estabelece as condições e normas para admissão de 63 de profissionais, em caráter de emergência, capacitados para ocupar postos no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da capital. A seleção e contratação será realizada por processo seletivo simplificado, em regime REDA.

Todas as oportunidades são para a função de Condutor de Veículo de Emergência, com exigência do nível médio completo e carteira de Motorista categoria D. Os aprovados terão direito a salários que chegam a R$ 1.245,89, pelo cumprimento de jornadas semanais de 36 horas, em regime de plantão, conforme as necessidades do serviço. Das vagas oferecidas, 5% são destinadas aos candidatos portadores de necessidades especiais, contudo eles devem estar aptos a desempenhar as atribuições do cargo.

Os interessados podem se inscrever somente de forma presencial na sede da Secretaria Municipal de Gestão (SEMGE) que fica na Avenida Vale dos Barris, 125 – Barris, Salvador. O prazo para se inscrever é do dia 24 a 28 de novembro de 2014, no horário de atendimento, das 8h30 às 11h30. É necessário portar os documentos pessoais e de escolaridade. Não será cobrada taxa de participação dos candidatos.

A seleção se dará por meio de provas objetivas e testes práticos de direção. Ambas serão realizadas em data, locais e horários a serem definidos e informados aos candidatos com antecedência.

Segundo o edital, o processo seletivo será válido por dois anos, contados a partir da data de homologação dos resultados, com possibilidade de prorrogação somente uma vez, por mais dois anos.

O edital contendo informações completas sobre o certame e demais atualizações podem ser conferido na página de concursos no site da Secretaria de Gestão www.gestaopublica.salvador.ba.gov.br.

Por Robson Quirino de Moraes