Concurso Ministério de Direitos Humanos em 2018

     

Concurso foi autorizado e deverá ofertar 123 vagas em 2018.

O Governo Federal autorizou o pedido do Ministério de Direitos Humanos sobre o concurso público para a contratação imediata de 123 vagas para início imediato. Apesar do sinal verde, a realização deste concurso ficou apenas para o ano de 2018, possibilitando um tempo hábil de preparo do edital completo bem como daqueles que querem concorrer a uma destas vagas.

Sendo assim, o Ministério busca suprir o déficit de servidores no cargo de analista técnico de políticas sociais, cargo criado ainda em 2009, que, de acordo com as informações preliminares, devem trabalhar em Brasília, na sede do Ministério.

Para aqueles que conquistarem uma vaga, receberão salários inicias em torno de R$ 7.372,47 incluindo benefícios como auxilio transporte. Este deve ser um dos 40 concursos públicos realizados por diversos setores do Governo Federal para o preenchimento de vagas em déficit e que não foram realizados ainda em 2017.

Cargo é recente

Criado em 2009, o cargo de analista técnico de políticas sociais contribui para a grande rede dos Direitos Humanos no Brasil, que antigamente era chamado de Secretaria de Direitos Humanos, e há pouco tempo, tornou-se Ministério dos Direitos Humanos.

Estes profissionais têm como funções, formular, coordenar e executar as políticas e diretrizes voltadas à promoção dos Direitos Humanos em todos os âmbitos conforme o planejado. Também está incluída na rotina destes profissionais, a articulação e também o apoio para os projetos que incentivem a proteção e a promoção dos direitos humanos bem como integrar socialmente as pessoas com deficiência.

O analista técnico de políticas sociais também deve executar uma ouvidoria nacional, abordando assuntos como os direitos humanos, além da cidadania, abrangendo as crianças e adolescentes, minorias, pessoas com deficiência, entre outros. Este profissional, além de combater a discriminação de qualquer cidadão, formula, coordena e define as politicas que envolvam a promoção da igualdade racial.

O Ministério dos Direitos Humanos implementa, promove e assegura os direitos incluindo ações aos direitos de crianças, adolescentes, idosos, mulheres, negros e outros. Iniciou no Brasil em 1997, ainda como Secretaria e em 2016 recebeu o status de Ministério.

O Ministério também possui a participação da sociedade através de conselhos, comitês e comissões, com atuação na Secretaria de Direitos Humanos, ligado a Presidência da República. Este colegiado auxilia nas atividades de promoção aos direitos humanos, fiscalizando as ações executadas pelo Governo na área. Crianças e Adolescentes, idosos, pessoas com deficiência, população LGBT bem como a população em situação de rua recebe atenção especial.

Os direitos humanos no mundo estão assegurados pela ONU (Organização das Nações Unidas) assegurando assim liberdade de pensamento e de expressão. Na visão da ONU, todos nascem com o direito de serem livres e iguais em direitos, com os povos praticando a fraternidade entre si.

Estes direitos humanos também existem como forma de proteção a qualquer cidadão do mundo, em especial aqueles que sofrem de alguma forma. Inclui-se nisto o direito a vida para qualquer cidadão do mundo, a integridade física e dignidade, direitos estes exigidos pela ONU e que devem ser cumpridos por todos os países membros e associados.

Ainda hoje, os direitos humanos são um desafio para os países, mesmo com os vários compromissos firmados pelos países membros ao longo das décadas. Os direitos humanos também clamam a manutenção da paz, o que é exigido pela ONU a ser cumprido pelos países membros. O Brasil cumpre este papel, não reservando conflito com os demais países, avançando em políticas sociais e de direitos humanos ao longo da década de 90, seguindo até os dias de hoje. O papel do analista técnico de políticas sociais é resguardar estes direitos, mesmo sendo um cargo novo, requer dedicação e conhecimento nas causas sociais.

Por Leandrinho de Souza